Quero ser cliente

25 de maio - Dia Internacional de Combate às Drogas

Publicado em 12/05/2014
Imagem do Artigo 25 de maio - Dia Internacional de Combate às Drogas

Tipos

Drogas estimulantes
Aumentam a atividade cerebral: o tempo de vigília é aumentado, a atenção é reforçada e há aceleração do pensamento – o que leva à euforia. Cafeína e nicotina são estimulantes naturais legalizados. Anfetaminas podem ser utilizadas pela medicina como moderadores do apetite, mas também são usadas sem o aval do médico. Cocaína e crack são consumidos por vias intranasais, pela aspiração do pó ou da fumaça, ou de forma injetável. Têm alto tropismo, ou seja, o usuário tem grandes chances de se tornar dependente.

Drogas depressoras
Diminuem a atividade do cérebro, tendo propriedades analgésicas. Usuários desse tipo de psicotrópico apresentam movimentos lerdos, a atenção e o tempo de vigília diminuem. O álcool é uma substância lícita, mas o consumo frequente e prolongado pode levar ao vício e a doenças graves.

Benzodiazepínicos (tranquilizantes ou calmantes)
São usados no tratamento de alguns distúrbios emocionais, como tensões e ansiedades. No entanto, podem causar efeitos adversos graves e causam rápida dependência.

Opiáceos
Podem ser naturais, extraídos da papoula; semissintéticos, a partir da morfina (heroína), e sintéticos (meperidina). Têm alto potencial de dependência, usados como analgésicos e sedativos pela medicina em sua forma sintética. Lança-perfume, benzina, alguns tipos de cola, clorofórmio e éter são inalantes: provocam tonturas e relaxamento da musculatura, com alterações perceptivas do tempo e do espaço.

Drogas perturbadoras, ou alucinógenas
Frequentemente causam ilusões visuais e alterações nos sentidos. Não aumentam nem diminuem a atividade do cérebro, mas fazem com que o órgão funcione de maneira diferente. Essas substâncias, até onde se sabe, não têm utilidade clínica e são ilegais. Mescalina, psilocibina (cogumelo), maconha, LSD, Ayahuasca (o “chá” do Santo Daime), ecstasy e anticonérgicos fazem parte deste grupo.

A mescalina tem efeitos psicodélicos semelhantes embora menos intensos que o LSD. A maconha causa alterações cognitivas e de humor, aumento exagerado de apetite e, em alguns casos, desencadeia quadros agudos de pânico e paranoia. O chá do Santo Daime pode também levar a quadros psicóticos. O ecstasy (droga sintética derivada da anfetamina) tem tanto propriedades estimulantes como alucinógenas, afetando e lesando o sistema serotoninérgico, responsável pelo controle do humor e impulsos.



Doenças relacionadas

- Alcoolismo
- Alergias
- Ataque cardíaco
- Arritmia
- Demência
- Depressão
- Derrame
- Desidratação
- Distúrbios generalizados de ansiedade
- Doença hepática alcoólica
- Doenças pulmonares
- Câncer de pulmã
- Cirrose
- Estresse e ansiedade
- Insuficiência renal
- Hipertensão
- Hipertensão pulmonar
- Pancreatite
- Psicose
- Reações alérgicas
- Transtorno de déficit de atenção com hiperatividade
- Doença arterial coronariana
- Transtorno bipolar
- Transtorno-obsessivo-compulsivo
- Transtorno de personalidade
- Transtornos do sono

Dicas e Novidades

Curta a Medic Saúde e Seguros


Operadoras e Seguradoras